“Um Requiem Alemão”, de Johannes Brahms, é uma das obras mais relevantes do repertório coral sinfónico, considerada por muitos a maior obra do compositor. Desde o falecimento de Robert Schumann em 1856 que Brahms pensava em escrever uma obra em homenagem ao seu amigo e mentor. Mas foi a morte da sua mãe em 1865 que catalisou a sua escrita. A obra passou por vários estágios de composição e foi finalmente apresentada no formato que hoje conhecemos em 1868. Brahms não era particularmente religioso. No entanto, as passagens bíblicas escolhidas a partir da bíblia luterana pelo próprio, deixam transparecer a intenção que tinha de escrever uma obra de consolo para os que ficam, ao contrário dos Requiems tradicionais que utilizam o texto litúrgico da Missa Fúnebre Católica Romana, centrado na bênção dos que partiram. Neste sentido, Ein Deutsches Requiem é, como o próprio compositor desejava, uma obra para a Humanidade.

Uma co-produção da Nova Ópera de Lisboa com o Coro Regina Coeli de Lisboa, apresentando concertos na Igreja de Santa Catarina, em Lisboa, a 1 de Maio (16:30), e no Teatro Gil Vicente, Cascais, a 4 de Maio (21:00).

Orquestra da Nova Ópera de Lisboa
Coro Regina Coeli de Lisboa
Alexandra Bernardo, soprano
Christian Luján, barítono
Pedro Miguel, maestro do Coro
Bernardo Marques, direcção musical

0 85

13 − seven =