O Coro Regina Coeli de Lisboa foi criado em 1966 pelo Maestro António Joaquim Lourenço, tendo sede, desde a sua fundação, na Freguesia de Olivais, em Lisboa.

Formado por cerca de 40 elementos, aborda um repertório muito vasto e variado do qual fazem parte obras a capella do séc. XVI ao séc. XX, bem como as obras corais-sinfónicas do período barroco ao moderno e contemporâneo, como por exemplo o Magnificat de Bach, o Gloria de Vivaldi, o Messias de Handel, o Requiem de Mozart, a 9ª Sinfonia de Beethoven, o Requiem de Fauré, o Carmina Burana de Orff ou os Chichester Psalms de Bernstein. Destacam-se ainda os programas temáticos a capella ou com acompanhamentos instrumentais, como os programas “A Noite”, “Amor no Renascimento – Vilancicos e Madrigais”, “Jardim dos poetas”, “Lux aeterna” e “Lux aurumque”. Tem para além disso um particular interesse pela composição do séc XX e XXI, abordando frequentemente o repertório de compositores da actualidade como Arvo Pärt, Eurico Carrapatoso, Eric Whitacre, Morten Lauridsen ou Ola Gjeilo.

Efectuou concertos por todo o país tendo participado em diversos Festivais (Óbidos, Sintra, Évora, Algarve), Encontros de Coros (Setúbal, Cascais, Algarve) e Temporadas Musicais (S. Roque, Loures, Barreiro). Tem participado em diversos eventos e ciclos de concerto destacando-se o lançamento do logotipo da Expo’98 e o Festival dos 100 dias que antecedeu a mesma, os ciclos Natal nas Igrejas e Música na Praças em Lisboa e o Festival das Artes em Coimbra. Participou no ano de 2014 no concerto Portas Abertas, no Grande Auditório da Fundação Calouste Gulbenkian, integrado nas comemorações dos 50 anos do coro da Fundação.

Tem realizado concertos em conjunto com orquestras ou agrupamentos instrumentais profissionais, como a Orquestra de Câmara do Conservatório Nacional de Lisboa, Orquestra da Juventude Musical Portuguesa, Orquestra Filarmonia das Beiras, Orquestra Sinfónica Portuguesa, Orquestra ARTAVE, Sinfonietta de Lisboa, Orquestra Nacional da Lituânia, Nova Filarmonia Portuguesa e a Cincinnati Philarmonia Orchestra. Gravou já diversos discos e efectuou gravações para a RDP, a Rádio Renascença e para a RTP.

Participou nos anos de 2015 e 2016 no Festival Coral de Verão, integrado nas Festas de Lisboa e organizado pela Câmara Municipal de Lisboa, EGEAC e SourceWerkz, tendo conquistado em 2015 a medalha de Ouro-III na categoria Vozes mistas, e no ano seguinte a medalha Prata-IX na categoria Música Sacra.

Presentemente integra o projecto “Monstro no Labirinto”, uma ópera comunitária de Jonathan Dove produzida pela Fundação Gulbenkian, que terá a sua estreia portuguesa em Setembro de 2017.

O Coro foi dirigido até Setembro de 1983 pelo seu fundador, e posteriormente pelos maestros António Vassalo Lourenço, Paulo Lourenço, Regina Mostardinha e Henrique Piloto, estando actualmente a direcção artística a cargo do maestro Pedro Miguel.